Imprimir Resumo


Simpósio Mundial de Estudos de Língua Portuguesa
Resumo


O LIVRO ILUSTRADO NA LITERATURA INFANTIL BRASILEIRA: MODOS DE LER

Autores:
Alice ┴urea Penteado Martha (UEM - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARING┴)

Resumo:

No Brasil, a denominação livro ilustrado ainda se mostra estranha à maioria dos mediadores, sejam professores, sejam pais ou promotores de leitura em ambientes sociais diversos. Raros, os estudos brasileiros sobre essa modalidade literária geralmente abordam apenas ou o seu caráter literário, refletindo sobre aspectos temáticos, linguísticos e estruturais das obras, ou o enfoque recai tão somente no outro vetor de significação, com a discussão minuciosa das ilustrações e análises de elementos específicos como espaço, movimento e cor. Neste trabalho, fundamentado nas concepções sobre essa modalidade de produção para crianças, notadamente, de autores como Peter Hunt (2010), Maria Nikolajeva e Carole Scott (2011), Ana Margarida Ramos (2011) e Sophie Van der Linden (2018), pretendemos analisar produções brasileiras que apresentem elementos importantes para o nomeado livro ilustrado (picturebook), concebido como forma de arte que visa à combinação de dois níveis de comunicação, o visual e o verbal. Sob esse aspecto levantamos obras de autores brasileiros que revelam a articulação entre imagem e texto, entre as quais, Cacoete (2005), de Eva Furnari, O lobo (2009), de Graziela Hetzel e Elisabeth Teixeira e Adélia (2016), de Jean-Claude Alphen, propondo modos de ler que valorizem a apreensão conjunta da materialidade do livro e que discutam seu caráter paradoxal, especialmente porque, embora seja em suas origens destinado a leitores iniciantes, em razão de sua dupla forma de expressão,  essa modalidade de produção exige habilidades diversificadas de leitura.