Imprimir Resumo


Simpósio Mundial de Estudos de Língua Portuguesa
Resumo


Neologismos midiŠticos: anŠlise na perspectiva do desenvolvimento da competÍncia lexical

Autores:
Aderlande Pereira Ferraz (UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais)

Resumo:

O universo midiático, jornais, revistas, televisão, rádio, internet etc., representando os meios de comunicação em massa, avançou da mídia analógica para a mídia digital e dá, na segunda década do século XXI, especial ênfase às redes (mídias) sociais. Nesse contexto, não apenas o jornalismo se desenvolveu, mas também outras especialidades de comunicação, como a publicidade que, dada a sua grande importância para a intensificação do consumo de bens e serviços, se estendeu a todos os meios midiáticos de nossa sociedade contemporânea. Com isso, ao se observar a produção de textos, especialmente os anúncios publicitários, em manifestação na mídia digital, detecta-se uma grande onda de criação lexical no português do Brasil, gerando ampla tipologia de neologismos. É nesse contexto que está situada a comunicação que se pretende apresentar. Partindo da teoria Lexical Priming (Hoey, 2005), segundo a qual as palavras não se reduzem às definições dadas a elas nos dicionários, mas sobressaem pelas possibilidades de interação com outras palavras, em contextos reais de uso, do que resultam diversas combinatórias lexicais, o objetivo central da comunicação aqui proposta é discutir alguns aspectos do processo de nomeação, especialmente com neologismos, presentes na mídia publicitária em circulação no Brasil. Tal objetivo se caracteriza por uma abordagem voltada para o desenvolvimento da competência lexical. Seguindo a metodologia de extração de neologismos em textos publicitários, veiculados na mídia eletrônica brasileira nos últimos dois anos, formou-se um corpus de análise do qual alguns produtos lexicais serão postos à discussão. Importa ressaltar que, ao se discutir o papel nomeador do neologismo, se reconhece que a palavra neológica, especialmente a formação sintagmática ou a colocação, pode, no processo de nomeação, promover significações para além da simples designação, envolvendo o receptor com ideias que se relacionam a atitudes, aparências e comportamentos dos respectivos nomeados.